logo

Fibras de urtiga são alternativa têxtil sustentável

A indústria têxtil está desenvolvendo fibras mais sustentáveis que substituam as fibras sintéticas que usam o o petróleo como base como poliéster, náilon, entre outras. A produção de fibras e tecidos aposta na urtiga comum (Urtica dioica), uma planta fácil de cultivar e que tornou-se uma das referências em sustentabilidade.

A urtiga é muitas vezes considerada uma praga porque cresce de forma muitas vezes inadequada, não muito bem vindas. Tudo por causa da urticária, sensação de ardor e coceira causada pelos pelos minúsculos e venenosos das folhas in natura quando entram em contato com a pele. No entanto, estes pelos são retirados antes de fazer o tecido.

O uso da urtiga para produzir tecidos não é novo. Estudos indicam uso da fibra de urtiga na produção de tecidos cerca de 2000 anos atrás. Vestígios foram encontrados na Dinamarca, Escandinávia, Polônia, Alemanha, Rússia e Escócia. A fibra foi também produzida comercialmente na China e no Japão.

A volta ao uso da urtiga na indústria de tecelagem tem sido motivada pela preocupação com os danos ambientais causados ​​pela monocultura do algodão. Ao contrário da indústria algodoeira, a urtiga cresce e se desenvolve sem a necessidade de pesticidas, herbicidas ou muita água. As fibras nas urtigas são fortes e elásticas com propriedades resistentes ao fogo. Além disso, tem propriedades antibacterianas o que inibe naturalmente o mofo.

Fibra de Urtiga na confecção de tecidos sustentáveis

A urtiga usa pouca água, se adequa a vários ambientes e tem potencial para produzir um tecido macio e sedoso, oferecendo uma alternativa ao algodão.

Por que o algodão substituiu as fibras da urtiga nas tecelagens? Apenas porque era mais fácil de colher e tecer

Com a chegada do algodão no século 16 e a seda com grande força no mercado, as fibras, fios e roupas de urtiga perderam sua posição de liderança porque o mercado concluiu que o algodão era mais fácil de colher e tecer. Hoje, novos avanços em tecnologias de fiação e cruzamentos já produzem urtigas com superfibras: fortes, flexíveis, versáteis e de bom comprimento para fiação, por isso está sendo absorvido pela indústria cujo tema é a sustentabilidade.

O uso da urtiga no passado mais recente só ganhou mais destaque durante a Primeira Guerra Mundial,  quando houve escassez de algodão. Na época, a urtiga voltou a ser usada na produção de uniformes para o exército alemão e para o exército francês. E assim, descobriram mais uma qualidade: o conforto térmico. As fibras de urtiga são ocas, estão cheias de ar no interior, o que cria um isolamento natural. Já na estação mais quente é possível manipular e reduzir o isolamento mudando a torção do fio.

Tecido Ecológico de Urtiga – sustentabilidade.

Pesquisas avançam para a expansão do uso da urtiga no mercado

O pesquisador Peter Ruckenbauer, do Instituto de Agrobiotecnologia da Áustria, passou os últimos anos cruzando diferentes variedades de urtigas para produzir a urtiga perfeita para uso comercial. Como resultado desenvolveu uma planta de urtiga que cresce facilmente e proporciona altos rendimentos de fibra.

Ray Harwood, professor do grupo de pesquisa de engenharia e materiais têxteis da Universidade De Montfort, em Leicester, acredita que os fios e roupas de urtiga são os materiais do futuro. Ele está envolvido no primeiro projeto britânico contemporâneo para desenvolver urtigas como um tecido, que é apropriadamente chamado de Tecnologias Sustentáveis ​​no cultivo de urtigas – STING.  Os pesquisadores também fizeram uma parceria com a empresa Camira — fornecendo têxteis para uso na decoração.

Na Santa Luzia Redes e Decoração estamos ávidos por novidades têxteis sustentáveis. Que tecidos de urtiga se tornem uma realidade econômica sustentável também no Brasil.



2 respostas para “Fibras de urtiga são alternativa têxtil sustentável”

  1. redecora_wp disse:

    Izabella, no último parágrafo tem nomes de pesquisadores. Além disso, há crédito do nome da empresa que já usa os tecidos na cartela de cores. Também no último parágrafo, foi citada o nome da empresa que está bancando os projetos.

  2. Izabella disse:

    Olá, em função de um trabalho de conclusão de curso sobre a fibra de urtiga, gostaria de saber as fontes das informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *