logo

Planejamento Urbano e de Paisagem para a sustentabilidade

Nos próximos 20 anos, as populações urbanas deverão aumentar e o número de “megacidades” duplicará. Grande parte desse crescimento ocorrerá nos países em desenvolvimento. Continuar valorizando o espaço verde nas cidades é vital, mas também é um desafio, especialmente nestes países onde há pressão por espaço, recursos e desenvolvimento. Por isso, destacamos a importância do Planejamento Urbano e de Paisagem que é desenvolvido com foco na saúde e o bem-estar das pessoas, evitando doenças e enfermidades associadas à superlotação, falta de saneamento e exposição à poluição ambiental.

Algumas das megacidades mais famosas do mundo são conhecidas por seus “espaços abertos” como o Hyde Park, em Londres, e o Central Park, em Nova York.

O espaço aberto em ambientes urbanos oferece conservação de ambientes naturais e até mesmo gestão de águas pluviais urbanas, sobretudo recreação. Assim, o espaço verde é fundamental no planejamento urbano porque contribui para a  saúde pública e a construção de espaços de sociabilidade — comunidades.

Os espaços abertos de Nova York , blog Redecoracao

A paisagem urbana ajuda a criar bairros mais saudáveis, mais bonitos e mais habitáveis.

A maneira como as cidades e os bairros são projetados devem considerar como os cidadãos vão andar, pedalar, participar de atividades recreativas ativas, usar o transporte público e interagir com os vizinhos e sua comunidade.

O planejamento urbano também é uma estratégia para economizar recursos. Ajuda a combater os níveis de obesidade e ajudar a prevenir doenças relacionadas ao estilo de vida, como o estresse, gerando mais saúde física e mental.

Abaixo listamos alguns dos benefícios de viver em uma cidade que tem planejamento urbano e de paisagem para a sustentabilidade.

1. BENEFÍCIOS AMBIENTAIS

O paisagismo urbano ajuda a limpar o ar, a água e o solo. As árvores proporcionam sombra e reduzem a poluição sonora. No paisagismo urbano, as árvores devem se destacar porque elas “capturam” poeira, fumaça, fuligem e gases tóxicos. Se não há árvores, a poluição passa direto  para os pulmões e para a corrente sanguínea, causando uma variedade de problemas de saúde. As árvores reduzem a poluição por partículas entre 7% e 24%, de acordo com o relatório de 2016 da The Nature Conservancy.

2. MUDANÇA DO CLIMA

O paisagismo urbano com aumento de árvores ajuda a reduzir os  gases do efeito estufa entre 50% e 85%. Sobretudo contribuem para evitar o aumento da temperatura. Um aumento de apenas dois graus Celsius pode gerar conseqüências graves para o nosso planeta. De acordo com a NASA, se a temperatura aumentar:

>> Eliminamos as chances de recuperação de recifes tropicais

>> Teríamos problemas de fornecimento de alimentos agrícolas, inibindo a produção de milho, por exemplo

>> Limite de abastecimento de água doce

3. INTEGRAÇÃO SOCIAL

As paisagens urbanas criam espaços públicos dinâmicos e convidativos que promovem a interação social, uma necessidade cada vez mais atual, já que a tecnologia tem a tendência de manter os habitantes da cidade na cama e no sofá, fisgados nas redes sociais ou jogando videogames. A paisagem urbana pode nos ajudar a passar mais tempo com as pessoas, cultivando e criando novos relacionamentos, contribuindo para que possamos nos envolver em atividades na comunidade.

4. SAÚDE FÍSICA E MENTAL

Passar o tempo fora de casa, na cidade, é importante. Socializar, desfrutar da natureza e relaxar é saudável para o corpo e a mente. Pesquisas confirmam que as paisagens urbanas melhoram a saúde e a qualidade de vida dos moradores da cidade. Os espaços verdes estimulam e aumentam a atividade física e melhoram o comportamento. Pesquisas indicam que calçadas com ruas arborizadas aumentam a disposição das pessoas para andar a pé ou de bicicleta, reduzindo a quantidade de motoristas nas ruas. As pessoas até tendem a dirigir lentamente em ruas arborizadas, influenciando positivamente o comportamento do motorista.

5. SEGURANÇA ALIMENTAR

A comida também une as pessoas em uma comunidade. Os alimentos cultivados perto de casa por meio da agricultura urbana de pequena escala têm uma pegada de carbono menor do que os alimentos cultivados em outros estados ou países que precisam ser transportados por milhares de quilômetros. Além disso, facilita o acesso a alimentos naturais produzidos de forma orgânica.

(h3)

O Planejamento urbano e de Paisagem deve ampliar espaços abertos também pelas oportunidades de lazer que ele oferece.

A recreação pode incluir recreação ativa (como esportes organizados e exercícios individuais) ou recreação passiva, o que pode simplesmente implica estar/contemplar o espaço aberto.

Há também que considerar o valor estético dos espaços abertos urbanos. As pessoas gostam de ver a natureza. 
 
Portanto, diante dos benefícios de substituir o cinza das cidades, propriedades próximas ao espaço aberto urbano tendem a ter um valor mais alto. Um estudo conseguiu demonstrar que uma visão agradável pode levar a um aumento considerável no preço da habitação. Portanto, só há bons motivos para escolher viver em uma cidade planejada com prioridade para a sustentabilidade. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *